Laudo hipotético sobre as causas do incêndio na boate Kiss em Santa Maria


Antes de mais nada, queira dizer que sou técnico em Meio Ambiente, faço téc. em Edificações e também estudo Engenharia Civil, além de ter também trabalhado em operações de shopping como coordenador de abrigada de incêndio para o grupo Aliance-RJ que administra shoppings.

Durante o dia juntei o pouquinho que sei com algumas fotos da boate em funcionamento como a que está abaixo para dizer o que provavelmente aconteceu na madrugada deste domingo.


Como já foi divulgado pela imprensa o fogo teria começado por conta de um show pirotécnico que a banda que se apresentava programou durante a apresentação e faíscas teriam entrado em contado com o material acústico do teto fazendo com que o incêndio começasse.

Esse material acústico, geralmente, é algum derivado do petróleo, comumente é usado isopor ou algo semelhante. Algo muito indicado são folhas bem parecidas com o isopor comum produzidas na Alemanha, um material leve e poroso que impede que o som se propague. Esse material é inflamável e sua fumaça é altamente tóxica.

Mesmo que a boate contasse com um sistema de sprinklers contra incêndio, o mesmo teria suas bocas de saída d'água a baixo do nível deste material. Para caso o fogo começasse na parte de baixo o sistema seria mais eficaz e não danificaria o teto e as instalações hidráulicas e elétricas.

Possível também que sobre a camada de isolantes estivessem as tubulações elétricas, o que poderia ter causado um curto-circuito imediatamente após o início do incêndio, fazendo com que as chamas se alastrassem na edificação com muito mais rapidez.

Sabe-se que havia apenas uma saída de emergência e que com o desespero se tornaria muito conturbada a saída de todos os clientes. Para piorar, o fogo poderia estar próximo a saída deixando o caminho mais complicado ainda para quem tentasse escapar.

Sabe-se também que a grande parte das vítimas morreram por asfixia. A fumaça proveniente da queima de derivados do petróleo, como plástico, isopor, alguns tipos de tecido, o encape da fiação elétrica (...) é altamente tóxica, letal. Em um local fechado, essa fumaça poderia facilmente matar um homem adulto em questão de minutos.

Não posso afirmar de quem foi o erro, mas uma boate para seu funcionamento é preciso ter o laudo de aprovação do corpo de bombeiros. Se não me engano, no estado do RJ não é permitido uma boate ter apenas uma saída de emergência. Não sei como é no RS, mas aqui estaria óbvio que a boate era irregular. Quanto a banda ter usado fogo na apresentação, a administração da casa noturna deveria estar ciente do que iria acontecer e alertado quanto ao uso do equipamento. Mas as reais causas só quem pode dizer são os peritos. Vamos esperar, pois até lá... nada passa de especulações.

Seguidores