Quando eu cheguei aqui há 6 anos a cidade vivia o sonho do Superporto do Açu. Eike Batista cantava a vitória e prometia a criação de mais de 200 mil empregos nos anos que estavam por vir, mas as coisas não correram como o esperado e as terras cabruncas mergulharam em um turbilhão de problemas. Vamos começar o texto de novo? Vamos!
Quando eu cheguei aqui há 6 anos tudo que eu tinha era o diploma de Ensino Médio e uma cabecinha de garoto do interior que não conseguia enxergar muito além. Campos se tratou de me dar como presente de boas-vindas um novo mindset. Eu sempre fui um nerdão geek que tinha milhares de seguidores no Twitter, páginas gigantes no Facebook, sites com milhões de acessos, mas nunca havia ganhado um centavo com isso, ou pelo menos até a cidade me dar uma nova visão de mundo e as pessoas que eu conhecia não me tratavam mais como o "nerdão geek", mas sim como um MICROEMPREENDEDOR DIGITAL - Isso foi do caralh*! - Esse simples novo título me fez querer me tornar essa pessoa. Monetizei minhas redes, corri atrás de anunciantes, direcionei público, aluguei páginas, vendi sites para revistas paulistas. Campos me ensinou a fazer dinheiro.
Esse novo mindset campista me fez multiplicar meus diplomas, fiz Técnico em Edificações, Técnico em Meio Ambiente, Técnico em Transações Imobiliárias, Técnico em Informática, Técnico em Mecânica de Aeronav... CHEGA DE TÉCNICO! Comecei a faculdade em Engenharia. Foram mais de 30 certificações e, com isso, Campos me ensinou a buscar conhecimento - ou foi o E.T. Bilu?
"Nem só de internet vive o homem" tá na Bíblia. Me tornar um microempreendedor digital - esse termo é incrível, né? - não foi o bastante e fiz estágio, fui auxiliar, virei técnico, peguei obra particular, obra pública, trabalhei com contratos da Petrobrás. No meu primeiro estágio eu sabia o que queria dizer a palavra "PRO-A-TI-VI-DA-DE", mas não sabia como colocar isso em prática. Foi muito chão, muito suor, muita luta, muito trabalho e que bom que teve muito trabalho, porque Campos me ensinou a trabalhar.
E depois de tantos ensinamos, de tantas experiências, de tantos presentes... Campos me presentearia com a melhor pessoa que já nasceu em suas terras. Ela me fez companhia, riu das minhas piadas, me ensinou a usar crase, escutou mil vezes eu falando o quanto o livro "A Batalha do Apocalipse" de Eduardo Spohr é bom - se você nunca leu fica aí minha dica - e me fez evoluir muito. Uma boa companhia é essencial para uma vida plena e Campos me ensinou a amar - Own, que fofo, ui-ui-ui. Aqui é Linkedin, porr*! Eu quero ver anuncio de vaga, num é textinho mimimi pra namoradinha não - Ok, desculpa! Então coloca aí: Campos me ensinou o valor de uma boa companhia. - Blz, tá valendo.
Campos foi uma fase incrível na minha vida, mas depois da crise no minério, crise no petróleo, crise na política, crise na crise e crise da crise na crise, eu decidi que era hora de buscar um novo caminho e em alguns dias meu avião estará saindo rumo a novas terras e novas experiências.
É muito triste ver a situação em que a região se encontra. Hoje a planície está retomando suas forças para vencer seus problemas, mas enfrenta muita dificuldade para esquecer seu passado. O hype do petróleo já passou e não vai voltar. Esquece essa coisa de supervalorização de imóvel, esquece essa coisa de "50 mil novos empregos até o final do ano", esquece essa coisa de que virá um prefeito salvador da pátria. Campos, você é maior que isso! O pior já passou, então levanta a cabeça e encara a realidade. Eu torço para que as coisas se acertem logo por aqui, que a economia se aqueça novamente e que o campista possa rir daquela fase ruim que já passou.
Só tenho a agradecer por tudo que essa cidade me proporcionou e quando eu digo "essa cidade" entende-se que são as pessoas que vivem aqui, porque uma cidade é feita de pessoas, mas só Campos tem o privilégio de ser feito de campistas. Muito obrigado Campos dos Goytacazes!
Ps.¹ Nunca vou entender como vocês podem gostar de Chuvisco. Esse treco é nojento! É só gema de ovo e açúcar, tá bom?
Ps.² Dar a seta não mata ninguém.
Ps.³ Eu gosto de azeitona, mas daí colocar azeitona com caroço no hambúrguer? Nisso vocês foram longe demais.

Como abrir uma micro empresa no Brasil


1 - JUNTA COMERCIAL
-Pesquise se há empresas com nome idêntico ou parecido ao que você quer registrar. Com o nome deferido, registre a microempresa na Junta Comercial, você vai precisar de: Contrato social; Cópia autenticada de CPF e RG dos sócios; Requerimento Padrão; Ficha de Cadastro Nacional (modelo 1 e 2 ); Pagamento de taxas (DARF); O registro gera o NIRE (Número de Identificação do Registro de Empesa).
2 - RECEITA FEDERAL
Por meio da internet, registre a empresa como contribuinte na Receita Federal. É preciso informar o NIRE (gerado no passo 1 desse manual) e cadastrar as atividades da empresa, o que tem repercussão na tributação e na fiscalização. Os documentos devem ser encaminhados por SEDEX e o registro dera o CNPJ.
ATENÇÃO: Nem todas as empresas podem optar pelo SIMPLES, fique atento ao tipo de atividade que sua empresa irá operar.
3 - PREFEITURA
É preciso obter o alvará de funcionamento da empresa, que deve ser requerido junto à Secretaria Municipal da Fazenda. É necessário apresentar: Formulário próprio preenchido; Consulta prévia de endereço aprovada; CNPJ Contrato social; Ludos de vistorias (Bombeiros, Anvisa, etc), conforme o caso.
4 - ADMINISTRAÇÃO FAZENDÁRIA ESTADUAL
É preciso registrar a empresa junto ao fisco estadual, essa etapa é obrigatória para algumas empresas. Em alguns estados, esse registro é obtido junto com o CNPJ, em outros essa etapa deve vir antes da etapa municipal. A documentação varia, por isso é preciso consultar a AF local.
5 - PREVIDÊNCIA SOCIAL
É preciso procurar a agência do INSS para registrar a empresa junto à Previdência Social e pagar as obrigações previdenciárias (mesmo que não tenha funcionários).
6 - APARATO FISCAL
É preciso solicitar a autenticação de livros fiscais e a autorização para a impressão de notas fiscais. Dependendo da atividade da empresa, isso é feito junto à prefeitura e/ou junto a Secretaria Estadual da Fazenda.
7 - COMECE A OPERAR
Depois de percorrer todo esses passos, sua empresa está pronta para finalmente começar a operar.

Os piores professores da universidade

A Faculdade é um lugar lindo, repleto de bons professores, de matérias extremamente úteis, profissionais cativantes, cheios de energia e um ambiente extremamente motivador, junto - é claro - de nuvens de algodão-doce e pequenos pôneis com o rabo de arco-íris que cagam chocolate belga enquanto cantam uma linda canção - SÓ QUE NÃO!
Estou na reta final para minha formatura, lá se foram muitos anos de estudos até chegar aqui e confesso que estou extremamente decepcionado com o que vivenciei durante a minha graduação. Então, entenda esse texto como um desabafo/informativo/alerta para quem está passando ou pretende passar por essa etapa um dia. Vamos lá? Vamos!
Passei meu Ensino Médio com professores que lecionavam e aplicavam prova dizendo "isso cai no vestibular", o que - na minha o humilde opinião - justificava focar o aprendizado em matérias completamente inúteis para uma carreira profissional em qualquer área, afinal, aquilo ia cair no vestibular. Aí você passa no vestibular, começa a tão sonhada graduação e aí vem um professor lecionando em cima de "isso cai no concurso". EU NÃO QUERO FAZER CONCURSO, PORR*! Eu quero aprender coisas úteis para a função que quero exercer, e não passar mais 5 anos da minha vida estudando para uma prova. Gostaria muito que as universidades focassem em formar profissionais e não "fazedores de prova".
Mas nem todo professor é um merd* que vai querer justificar sua falta de vontade de dar aula com a justificativa do concurso público, alguns são merd*s pelo simples fato de que não possuem a menor vocação para estar ali dando aquela aula. Muitos professores universitários estão lá porque foi o que deu! Não gostam do que estão fazendo e fazem de qualquer jeito. O negócio é cumprir horário e aplicar prova - múltipla escolha, de preferência.
Tem professor que está tão "nem aí" para a função que exerce, que tem a pachorra de aplicar um seminário durante o semestre, em que cada aula um grupo de alunos irá apresentar um trabalho para a turma sobre um tema diferente durante 50 min. Isso consome o período inteiro e o filho da p*ta tem a audácia de dizer que não deu tempo de dar a matéria por causa do trabalho que os alunos tiveram que apresentar. MANO, COMO EU TENHO RAIVA DESSE TIPO DE PROFESSOR!
Já estudou no interior? Amigão, eu já! Tive que trocar de faculdade diversas vezes por conta do trabalho, cada semestre estava trabalhando em uma cidade diferente e estudando em uma universidade diferente. Mas sabe qual é o problema de professores do interior? Imagina que você é o maior nome quando o assunto é Instalações Elétricas. Todo mundo da região te procura para fazer projeto, instalação, adequação e etc. Você é tão bonzão nesse quesito que a universidade da região te chama para lecionar. Pergunta: Você vai ensinar um grupo de pessoas para que eles se tornem tão bons quanto você e criar essa concorrência? Resposta: NÃO! Aquele professor especialista na área pode ser uma grande furada! Ele faz de tudo para a aula não render, começa a puxar histórias aleatórias do nada, mas se você tiver sorte entre essas histórias e a tentativa de auto sabotagem em sua aula, ele acaba passando uma ou outra coisinha que é muito valiosa. E sim, existem muitos desses espalhados por aí.
"Na minha matéria, 10% desistem antes da P1, 40% desistem antes da P2 e no final só 5% conseguem passar." Quando a matéria é uma divisora de águas, isso é completamente justo. Muita gente cursa uma graduação que não tem nenhuma condição de seguir, então chegam em uma matéria como Cálculo I e não conseguem seguir o ritmo. Mas tem um cara que o prazer dele é ser "O terror", esse cara não tem nada para te acrescentar e ele quer te reprovar. Só que ao invés dele ganhar fama de terrorista, todos nós sabemos que ele é apenas "O frustrado".
Antes de fazer faculdade, fiz 4 cursos técnicos e já trabalhava na área em que escolhi seguir graduação. A experiência de trabalhar com o que se estuda tornou meu terceiro grau mesmo com maus professores. Hoje estou estagiando em uma área nova para mim e absorvendo informações que instituição de ensino nenhuma conseguiria me proporcionar. Apesar desses professores que citei até aqui, o curso de engenharia tem sito extremamente útil na minha vida profissional. Por mais que a minha grade curricular seja praticamente a mesma de uma pessoa que tenha cursado engenharia nos anos 70, é uma boa base.
Se esconder atrás de um diploma universitário não te torna um profissional. É preciso buscar cursos com softwares mais atuais no mercado, entender os desafios profissionais da área, consumir conteúdo relacionado ao tema de ensino, estagiar e trabalhar nas mais diferentes empresas e seguimentos de mercado. Só depois disso tudo, você pode bater no peito e falar: "Eu sou um profissional fod* pra caralh*!"
Ps: Nem só de maus profissionais são formadas as universidades. Existem seres de luz que habitam esses lugares e que são apaixonados pelo que fazem. É muito visível quando você está na aula de um professor de verdade. Você pode até achar o cara um mala e a matéria completamente sem graça, mas quando é um PROFESSORZÃO DA P*RRA que está lecionando... você aprende! Então, muito obrigado aos bons professores que tive ao longo da minha caminhada, porque vocês fizeram a diferença.

Seguidores