As 10 melhores cidades para se viver


Nova lista tem causado debates. Hong Kong é a melhor do mundo para se viver? Berlim cai no ranking por ser uma cidade isolada? Confira como julgar qualidade de vida.


O braço estatístico do grupo que edita a prestigiada revista The Economist, Economist Intelligence Unit (EIU), lançou mais um ranking com as cidades que oferecem melhor qualidade de vida para seus habitantes. 
Até a edição de 2011, Canadá e Austrália lideravam o Top 10. Mas este ano a EIU resolveu inovar no método. E deu Hong Kong em primeiro. 
Hong Kong? Sim, a metrópole chinesa, conhecida por ostentar uma névoa de poluição, ganhou de capitais europeias que os brasileiros adoram visitar. Até o editor-sênior da EIU considerou o resultado uma “surpresa”.
Tudo porque, na tentativa de aperfeiçoar o sistema, a EIU adicionou sete novos indicadores pensados pelo arquiteto e urbanista Filippo Lovato. Eles são: espaço verde, poluição, isolamento (a existência de outros centros urbanos por perto é considerada positiva),conectividade (linhas aéreas envolvendo a cidade),expansão (quanto mais compacta, melhor para locomoção), bens naturais (mares e rios a até uma distância de 100km) e bens culturais (proximidade aos declarados Patrimônios da Humanidade da Unesco).
São Paulo e Rio de Janeiro, as duas brasileiras entre as 70 cidades listadas, só aparecem nas 36ª e 42ª posições, respectivamente.
Confira as cidades onde todos deveriam, em tese, sonhar em viver. As notas de avaliação vão de 0 a 100, mas alguns indicadores são medidos de 1 (melhor) a 5 (pior).  Estão destacadas em verde em que quesito cada localidade se sai melhor e em vermelho no qual vai pior quando comparada à concorrência.

1º - Hong Kong

Índex final: 87,8
Espaço verde – 1,2

Expansão – 1

Bens naturais – 1,3
Bens culturais – 4
Conectividade – 2,3
Isolamento – 1,3

Poluição – 3

Estabilidade – 95
Saúde – 87,5
Cultura e meio ambiente – 85,9 
Educação – 100
Infraestrutura – 96,4


2º - Amsterdã (Holanda)

Índex final: 87,4
Espaço verde – 1,7
Expansão – 3

Bens naturais – 1,3

Bens culturais – 2
Conectividade – 1,3

Isolamento – 4,3

Poluição – 1,5
Estabilidade – 80
Saúde – 100
Cultura e meio ambiente – 97,2
Educação – 91,7
Infraestrutura – 96,4



3º - Osaka (Japão)

Índex final: 87,4

Espaço verde – 2,8

Expansão – 2,8
Bens naturais – 2,7

Bens culturais – 2

Conectividade – 2,3
Isolamento – 2,5
Poluição – 2
Estabilidade – 90
Saúde – 100
Cultura e meio ambiente – 93,5
Educação – 100
Infraestrutura –96,4


4º - Paris (França)

Índex final: 87,4

Espaço verde – 1,2

Expansão – 3,2
Bens naturais – 2,3
Bens culturais – 3
Conectividade – 1,3

Isolamento – 3,8

Poluição – 2,5
Estabilidade – 85
Saúde – 100
Cultura e meio ambiente – 97,2
Educação – 100
Infraestrutura – 96,4



5º - Sydney (Austrália)

Índex final: 86
Espaço verde – 1,3
Expansão – 4,3
Bens naturais – 2
Bens culturais – 4
Conectividade – 2,3

Isolamento – 4,5

Poluição – 1

Estabilidade – 90
Saúde – 100
Cultura e meio ambiente – 94,4
Educação – 100
Infraestrutura – 100




6º - Estocolmo (Suécia)

Índex final: 86
Espaço verde –2,3 
Expansão – 3,2
Bens naturais – 2

Bens culturais – 2

Conectividade – 2

Isolamento – 5

Poluição – 2
Estabilidade – 95
Saúde – 95,8
Cultura e meio ambiente – 92,2
Educação – 100
Infraestrutura – 96,4



7º - Berlim (Alemanha)

Índex final: 85,9
Espaço verde – 1,3
Expansão – 4,5
Bens naturais – 1,7

Bens culturais – 1

Conectividade – 2,5

Isolamento – 4,8

Poluição – 2
Estabilidade – 85
Saúde – 100
Cultura e meio ambiente – 97,2
Educação – 91,2
Infraestrutura – 96,4


8º - Toronto (Canadá)

Índex final: 85,4

Espaço verde – 1

Expansão – 4,5
Bens naturais – 4

Bens culturais – 5

Conectividade – 1,8
Isolamento – 3,8
Poluição – 1
Estabilidade – 100
Saúde – 100
Cultura e meio ambiente – 97,2 
Educação – 100
Infraestrutura – 89,3


9º - Munique (Alemanha)

Índex final: 85,1

Espaço verde – 1,2

Expansão – 2,5
Bens naturais – 1,3
Bens culturais – 4
Conectividade – 1,5

Isolamento – 5

Poluição – 2
Estabilidade – 85
Saúde – 100
Cultura e meio ambiente – 97,2
Educação – 91,7
Infraestrutura – 89,3

10º - Tóquio (Japão)

Índex final: 84,3
Espaço verde – 3,3 
Expansão – 2,7
Bens naturais – 3,3
Bens culturais – 5

Conectividade – 1,3

Isolamento – 3
Poluição – 1,5
Estabilidade – 90
Saúde – 100
Cultura e meio ambiente – 94,4
Educação – 100
Infraestrutura – 92,9