Eu e a Barata - O confronto final

Eu e a Barata - O confronto final

Crônicas de Marcella Gruner Maia 
E eu que ria daqueles seres asquerosos que são as baratas e brincava de tiro ao alvo quando passava por uma nojentinha na rua, hoje recebi o troco! Parece que as vadias se reuniram e contaram meus assassinatos à Barata-Rainha e ela veio me visitar... Aquele alienígena gigante, com antenas infinitas... balançava pra lá e pra cá e me olhava... pensei: "Chegou a grande hora do confronto final..." e quando virei para pegar qualquer objeto mortífero ela desapareceu. Fiquei numa busca incansável e quando desisti (pensando que talvez tenha voltado ao seu ninho maldito) ela veio do inferno voando exatamente em minha direção... ( Asas gigantes? Agora a porra ficou séria! oO) Corri, ao tomar aquele susto, e escorreguei numa poça d´agua graças ao gelo que outro ser da minha família deixou caiu. Fui parar na sala depois de rolar e dar um mal-jeito no pé! Mas não desisti, eu ia matar aquela infeliz de qualquer jeito. Me armei com tudo o que eu pude, tinha o SBP numa mão, uma bacia na outra e aqueles antigos chinelos Raider do papai... Entrei na cozinha como se fosse a última coisa que faria na minha vida. E lá veio ela feroz, veloz e eu determinada... Tasquei um vidro de SBP por toda a cozinha, ela começou a cambalear...joguei a bacia por cima dela na esperança de morrer tão logo, mas aquela peste era forte... tirei a bacia! Ela relutante correu e subiu nas paredes e então dei meu golpe final! Levantei a perna o mais alto que pude e com o chinelão raider a esmaguei com todo o meu ódio!!! Ufaaaa, venci... Que venham os garfanhotos agora!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores