5 incríveis construções futuristas que imitam a natureza


Você já ouviu falar de Biomimética? O conceito, que vem do grego bios (vida) e mimesi (imitação), aplica-se às criações humanas que tem na natureza sua maior fonte de inspiração, como esses fascinantes projetos de arquitura ecológica

1- Bionic Arch: uma joia em Taiwan


Preocupada em reduzir suas emissões, a cidade de Taichung em Taiwan lançou no ano passado um concurso de projetos de arquitetura para ocupar uma área antes ocupada pelo aeroporto local, que mudou de endereço.
O vencedor da competição foi ninguém menos do que o visionário arquiteto belga Vincent Callebaut, que projetou uma imensa torre verde que não só combina como supera os principais indicadores de um edifício sustentável.
Chamada de Bionich Arc, a torre em forma orgânica foi orçada em 85 milhões de reais e terá emissão zero de carbono. Com jardins suspensos integrados em toda sua fachada, o edifíco de 119 m será capaz de produzir sua própria energia a partir de fontes alternativas, como solar e eólica.

2- Wetropolis: a Bangkok do amanhã


Bangkok, na Tailândia, corre risco de sofrer com a elevação do nível do mar até meados do século. Para resolver esse problema, a firma de arquitetura S+PBA bolou uma solução interessante: um conceito de comunidade para “um futuro pós-diluviano”. O projeto abraça um estilo de vida anfíbia, em vez de lutar contra ao aumento do nível das águas.
A ideia é reproduzir toda uma rede e infraestrutura urbana acima do mar chamada de “Wetropolis”, que contaria com escolas, espaços públicos, indústria e todo tipo de serviço público. Os arquitetos preveem até espaços verdes, como parques e florestas e manguezais, que além de favorecer a atividade de carcinicultura, tambem ajudariam a filtrar a água e renovar o ar da cidade.

3- Um “prédio cacto” em pleno deserto


O Ministério das Relações Municipais e da Agricultura do Qatar, no Oriente Médio, está preparando a construção de um novo prédio comercial que tem a forma de um cacto. Desenhado por um escritório de arquitetura tailandês, o edifício utiliza-se de estratégia semelhante a de um cacto para sobreviver no ambiente quente e seco, característicos dos desertos árabes.
A exemplo daquela planta, que durante a noite “transpira” para reter a água ao longo do dia, a construção também contará com um sistema que abre e fecha ventanas, criando sombras e controlando a temperatura interior de acordo com as variações de temperatura. O projeto é parte de um programa bilionário de incentivo à construção verde para racionalizar o uso de energia no país.

4- Torres autossuficientes em Seoul


Buscando conciliar crescimento urbano, sustentabilidade e qualidade de vida, os arquitetos coreanos da Mass Studies projetaram o Seoul Commune 2026.
Trata-se de um conjunto de torres sustentáveis em formato orgânico, que podem ter entre 16 e 53 andares, no bairro de Apgujongdong, uma das regiões mais densamente povoadas do mundo, em Seoul. Além de apartamentos, cada torre abrigaria restaurantes, teatros, um complexo de compras, além de outras opções de lazer.
Autossuficientes em energia, as torres possuem uma cobertura de cristais fotovoltaicos, além de um revestimento verde composto de plantas, que ajuda a controlar a temperatura interna dos edifícios.


5- Ilhas artificiais para as Maldivas


Pelo menos 80% do arquipélago das Maldivas, localizado no oceano Índico, está apenas um metro acima do nível do mar. Uma elevação brusca das águas poderia varrer do mapa esse paraíso de praias de areia branquinha, palmeiras e atóis de corais.
No último século, o nível do mar já subiu 20 centímetros em algumas partes do país. Temendo o pior, o governo local estuda comprar um novo território para o seu povo. Mas para o arquiteto Koen Olthuis do Waterstudio a solução é criar mini-ilhas flutuantes. Elas teriam formato de estrela-do-mar e contariam com amplos espaços verdes e praias artificiais.




Seguidores